Início > Administração (Parte II) > Quebrando Paradigmas se Constrói Soluções

Quebrando Paradigmas se Constrói Soluções

Por Luiz Renato Roble

Latinos são calientes, americanas bregas. Baianos são preguiçosos, gaúchas bonitas. Médicos são frios, advogadas calculistas. O mercado está retraído e as empresas só devem aplicar em propaganda, marketing, promoção e design, na época do natal.

Rótulos, pré-conceitos e paradigmas. Desde que o mundo é mundo e o Homem começou a acreditar que já raciocinava, iniciou-se a mania universal de rotular as pessoas, desenvolver preconceitos e criar paradigmas. Os que nascem além do vale têm tacapes menores, uga. As que têm cabelos da cor do milho, não sabem como acender fogo, uga, uga. Macho que é macho só come carne crua, uga, uga, uga.

Trabalhando há 14 anos com design, pude deparar com alguns rótulos, preconceitos e paradigmas deste setor, que apesar de hoje estar tão em voga, há poucos anos atrás, ninguém sabia bem o que era. Foi necessário explicar a muita gente boa o que realmente fazia um escritório de design. Muitas vezes lutei contra rótulos, argumentando pacientemente que design não é caro, que não é gasto, é investimento, que não é só para empresas grandes e que deve ser o mais simples e claro possível. Acredito que assim, venho contribuindo para a construção de uma profissão respeitável, reconhecida e com rótulos, somente, os dos produtos.

Além da luta contra os rótulos, é preciso combater certos preconceitos, argumentando que os brasileiros têm talento e que fora do eixo Rio-São Paulo também existem boas empresas de design. É bom lembrar que no Brasil até pouco tempo atrás, trabalhos de design eram solicitados, mais a agências de publicidade e a escritórios de arquitetura, do que a escritórios especializados em design. A quebra de paradigmas como este é sempre uma constante. Ao contrário dos Estados Unidos e países da Europa, onde cada empresa procura atuar, e bem, em sua especialidade, ainda existe no Brasil o medo de repartir o trabalho, deixando a cada empresa aquilo que realmente é a sua especialidade. A boa notícia é que aos poucos este paradigma está sendo quebrado e, felizmente, cada vez mais vemos parcerias produtivas entre agências de publicidade, empresas de arquitetura e escritórios de design. Neste tipo de parceria ganha todo mundo, principalmente o cliente que leva o melhor do que cada área pode oferecer.

Para que um simples rótulo transforme-se em um preconceito, basta um passo. Um passo para trás, em direção à indiferença, à segregação, à injustiça e a guerra. O triste é que pouca gente vê que ter preconceitos é algo tão pré-histórico quanto arrastar a mulher pelos cabelos até a caverna. Quebrar paradigmas é justamente deixar este tipo de pensamento de lado, progredir de alguma forma tendo assim, uma visão mais abrangente da vida.

  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: